Banner
Heloise perguntou:

Não existe namoro no meio evangélico, o certo é conhecer orar e casar!

Namoro não existe na bíblia!

Anúncios
Avatar blank

Olá Heloise, não encontramos a palavra “namoro” na Bíblia. Todavia, a Palavra de Deus fala de compromissos pré-nupciais (noivado) e pós-nupciais (casamento).
Um bom exemplo que temos é o relacionamento entre José e Maria. Eles eram noivos e não se conheciam sexualmente (Mt 1.18 e Lc 1.27). Havia um compromisso sério entre eles, que, na época, eram provavelmente adolescentes. Casamentos aconteciam cedo há dois mil anos atrás. Diferentemente de nosso tempo.
O namoro é um traço de nossa cultura que não existia na época bíblica. Hoje em dia o costume no meio evangélico comum é estabelecida em trés etapas. Namoro, noivado e casamento. No namoro diferentemente aos os costumes da moda, serve na verdade, o momento de se conhecer melhor um ao outro, compartilhar sonhos, idéias, e fazer possíveis planos futuramente. Depois disso, os dois estando bem conhecidos um ao outro e ao mesmo tempo estando certos em seguir em frente com essa união, vem a segunda etapa, o noivado. O noivado é a preparação para o casamento .

Picture?width=100&height=100
Icon7 Icon3
Marcia Aquino respondeu:

Olá, Heloise...
Não fala especificamente de namoro, mas fala em "desposar"... era um compromisso assumido e documentado entre as famílias daquele tempo. Esse era o costume da época bíblica. O casamento era decidido pelos pais, e o período do "noivado" levava um ano, após isso, havia uma cerimônia e trocas de presentes. Eram os pais que discutiam a situação das finanças, também. Então, quem entrava neste "acordo", tinha que ter como sustentar sua esposa e família.
Hoje, não se vê mais este costume, os filhos decidem com quem irão se casar, e fazem sua escolha independente da opinião dos pais. É certo que se ore, mas esta preocupação deve ser dos pais, que oram desde que os filhos nascem, até o dia de entregá-los ao cônjuge.
Os envolvidos na decisão de contrair matrimônio, devem procurar, além de orar, observar a pessoa, seus modos e costumes, sua forma de tratar, seus ideais... hoje em dia "se amassa" mais e se conhece menos. Eis a causa de tantos relacionamentos frustrados e falidos.
Um amor e uma cabana, é o conceito de hoje, é verdade, mas ainda assim, defendo o namoro e o noivado "cristão", com propósito de firmar uma aliança tendo Deus como base para ela.
Há muitas outras coisas que aconteciam naquela época e que nestes dias não acontecem.
Sei que você não perguntou, mas, esta é a minha forma de pensar e de agir.
A paz.

Picture?width=100&height=100
Icon7 Icon3
Marcia Aquino respondeu:

Puxa... que bom! Já pensou se essa moda pega? kkkkk
Conheço, oro e caso? Nem pensar... tem mais água para passar debaixo desta ponte, menina! Comer 1Kg de sal com a pessoa, passar pelo fogo e só com o carimbo de Deus, é que damos este passo e para sempre. Beijos!

Thumb img 20150807 190548
Heloise respondeu:

Foi o que dss sem interpretar kkkkk

Thumb img 20150807 190548
Heloise respondeu:

Verdade casamento é algo mto importante

Picture?width=100&height=100
Icon7 Icon2
Larissa Borges respondeu:

Não é bem assim amada rs

Imagina que louco você mal conhecer uma pessoa e já sair casando? Não é assim.

Se fala que "não existe namoro na bíblia", pq o namoro do crente é diferente do namoro no mundo. No mundo as pessoas namoram muitos anos, tem vida sexual e nem há a perspectiva de casamento. O namoro do crente tem um propósito. Esse propósito é o casamento. Namoramos com uma pessoa com a intenção de casar. Esse tempo de namoro é um tempo de conhecimento e avaliação para saber se aquela pessoa é a certa para casar. Deve ser um tempo em santidade com oração.

Graça e paz.

Thumb img 20150807 190548
Heloise respondeu:

Então rsrsrs nn interpretei, a questão é q nn existe nem bjo em namoro evangélico, vc conhece a pessoa, ora, vão c conhecendo e pedem a confirmação d Deus e c for da vontade Dele ai casam

Anúncios